ECCRR 2018 International Conference

During the following days, CECC researchers will be gathering for a four-day conference on the topic “Europe’s Crises and Cultural Resources and Resilience” (ECCRR), promoted by the PhDNet symposia, within the context of the DAAD program “Dialogue with Southern Europe” (Hochschuldialog mit Südeuropa).

The conference will be held in Rome, starting on the 12th September with a welcoming speech by conference organizers Ansgar Nünning, Michael Basseler, Sandro M. Moraldo and Imke Polland.

The conference aims at raising questions on the different crises Europe has been experiencing for the past decade, placing particular emphasis on its responsiveness. Literature, art and culture are here debated as linking and maintaining transcultural relations as a resource for resilient approaches.

Panels are organized according to different topics and project presentations, in which Professors and CECC researchers will be present, as follows:

 

12th September – Resources of Resilience in Dealing with Crises in/of Europe

Ana Margarida Abrantes: Krisendarstellung und Krisenerfahrung in Portugal

 

13th September – European Projects

Marília dos Santos Lopes: Von Entdeckung und Selbstentdeckung in der europäischen Geschichte

Vera Herold: Schütz and Schumann in Dark Times. The Role(s) of Music for the Lissaboner Deutsche – from Exclusion to Inclusion

 

14th September – International Cooperations and European Projects

Peter Hanenberg: Keynote Speaker on the topic of Translation as a Cultural Ground for Europe 

Inês Espada Vieira: 4Cs: from Conflict to Conviviality through Creativity and Culture

Alexandra Lopes: The First Blackbird? Fear and Resilience in Salman Rushdie’s Joseph Anton

Advertisements

Encontro Ciência 2018

Ciência 2018 é um encontro anual que procura reunir investigadores portugueses em torno de um debate focado nos maiores temas e desafios da atualidade.
A edição do Encontro com a Ciência e Tecnologia em Portugal 2018 terá início no dia 2 de julho no Centro de Congressos de Lisboa e conta com a presença de investigadores Portugueses e de África do Sul como país convidado.

Serão três dias intensivos focados na agenda 2030 proposta pela Organização das Nações Unidos, convidando investigadores de diferentes áreas e disciplinas a discutirem e repensarem a conceção do 9º Programa do Quadro Europeu para a Investigação e Inovação 2021-2028.

As sessões estão organizadas por diferentes temas, dos quais destacamos a intervenção dos investigadores do CECC Ana Cristina Cachola, Antonio Chenoll, Luísa Santos e Patrícia Dias, com os respetivos abstracts descriminados abaixo.

Destacamos ainda a presença dos alunos de Doutoramento Ana Paula Mauro e Naide Feijó Múller Cajado Caldeira, as quais marcarão presença na conferência com a apresentação dos seus respetivos Posters: Narrativas Não-ficcionais Imersivas no Ciberespaço e Representação do ativismo (por direitos humanos e não humanos) na informação televisiva em Portugal.

Programa completo Ciência 2018
Registo de acesso às conferências

Sessão no tema 1 – Iniciativa Nacional Competências Digitais
Tecnologias Digitais, Crianças e Parentalidade: Desafios da educação informal
Patrícia Dias, Centro de Estudos de Comunicação e Cultura

Na sociedade em que vivemos, as crianças estão a nascer em lares mediatizados, nos quais são expostas às tecnologias digitais desde tenra idade, e começam a utilizá-las cada vez mais cedo. No caso das crianças mais pequenas, os pais desempenham um papel fundamental na mediação do acesso aos dispositivos e aos conteúdos, e das práticas digitais. Contudo, os pais são confrontados com informações e opiniões contraditórias, quer nos discursos mediáticos quer nas suas redes de relações, e têm muitas dúvidas sobre a melhor forma de mediar a utilização das tecnologias digitais, tendo em vista o desenvolvimento e o bem-estar dos filhos.
O projeto hAPPy kids tem como objetivo identificar critérios válidos para a avaliação e seleção de conteúdos digitais para crianças, sobretudo para dispositivos móveis. Tendo como principal fundamentação teórica o conceito de conteúdos digitais positivos para crianças de Sónia Livingstone (2008), este projeto explora as percepções e práticas de pais e crianças, bem como consulta diversos stakeholders do mercado, especialistas influenciadores nos media, e ainda policy-makers. Contando com uma vasta e diversa base empírica – inquéritos a 1968 pais de crianças com menos de 8 anos, visitas e entrevistas a 81 famílias e entrevistas a 16 stakeholders – este projeto visa discutir o papel das tecnologias digitais e da mediação parental na educação informal.

Sessão no tema 4 – Educação de Qualidade
Projeto AFORO. Apoio para a Formação Regular Online | AFoRO
Antonio Chenoll, Centro de Estudos de Comunicação e Cultura

Inserido no Objetivo 4: Qualidade no ensino superior, dentro dos 17 Objetivos de desenvolvimento sustentável a proposta de projeto AFoRO tenta aproximar os conteúdos que a Faculdade de Ciências Humanas da UCP ministra de maneira geral e presencial para um curso online, aberto e gratuito dirigido a camadas da população sensíveis ou em risco de exclusão como adolescentes com poucos recursos, mulheres vítimas de violência de gênero, imigrantes/refugiados, entre outros.
Desta maneira, combinamos o objetivo de oferecer a qualidade do ensino universitário (Objetivo 4 e principal neste projeto) com outros objetivos como Reduzir a Desigualdade (Objetivo 10) e a Igualdade de Gênero (Objetivo 5).
O desenho do projeto terá a colaboração de diferentes membros da comunidade acadêmica da Universidade Católica Portuguesa em Lisboa e Viseu, especialistas na proposta dos conteúdos do curso assim como a parceria de ONGs credíveis que acreditem a situação real dos candidatos.
Além dos cursos, o projeto visa certificar as competências adquiridas em provas presenciais ou online síncronas, com o intuito de serem reconhecidas pelo mercado de trabalho acrescentando assim a competitividade dos participantes. Esta certificação será completamente optativa, terá mínimos de participação para garantir a qualidade da certificação e deverá ser paga como compensação por despesas; mas nunca como receita da universidade.
Todos os cursos terão uma componente fundamentalmente prática, multimédia e interativa tendo sempre em consideração o desenvolvimento das softskills fundamentais para a inserção laboral do público alvo.

Sessão no tema 5 – Igualdade de Género
Activismo académico: a importância das zonas cinzentas da falsidade, do racismo e do sexismo (ou um plano contra a trumpificação dos discursos)
Ana Cristina Cachola, Luísa Santos, Centro de Estudos de Comunicação e Cultura
O activismo académico toma diferentes formas e pode ser praticado de diferentes modos. Segundo Flood, Martin e Dreher “os académicos podem conduzir activismo enquanto trabalho académico, validando (formas particulares de) activismo em nome do seu valor intelectual” (2013:18). A falsidade no discurso ou a falsidade enquanto discurso têm sido discutidos por muitos autores. Como Michel Foucault afirma, “não podemos imaginar que o mundo nos mostra uma realidade legível que temos apenas que decifrar. O mundo não é um cúmplice do nosso conhecimento; não há proveniência pré-discursiva que coloque o mundo a nosso favor” (1981: 67). É precisamente neste contexto que esta apresentação pretende discutir porque é que as zonas cinzentas da falsidade, do racismo e do sexismo têm a mesma importância que as situações explícitas de falsidade política.

CFP (Novo prazo): Colóquio “Desavindos com a Vidinha! Literatura e outras artes contemporâneas de Alexandre O’Neill”

O poema “Rua André Breton” (Entre a Cortina e a Vidraça, 1972), de Alexandre O’Neill, pode ser lido como súmula perspicaz da história da literatura de uma parte significativa do século XX português. O’Neill convoca para o poema os dois movimentos literários que marcaram, de forma determinante e transgressora, o panorama nacional, a partir da década de 30 do século XX: o Neorrealismo (a que alude no verso “A imitação do isto, a gangazul, a variz da varina”) e o Surrealismo (vincando-se desde logo a dissidência e a mobilidade como marcas identitárias do movimento: “A rua André Breton está sempre a mudar de rua.”)
Tendo em conta a figura de Alexandre O’Neill e do lugar que este tem no panorama literário do século XX português, pretende-se que este colóquio abra a oportunidade de revisitar alargadamente os objetos, práticas e conceitos que, contemporâneos de O’Neill, formaram o espaço cultural português do segundo e terceiro quartéis do século passado, na literatura, nas artes visuais e performativas, no cinema, na música e na crítica.
A imagem de ‘pássaros de asas cortadas’ que Luiz Francisco Rebello aplicou à alta burguesia lisboeta, na sua peça de 1959, adaptada ao cinema por Artur Ramos, em 1963, com diálogos assinados por Alexandre O’Neill e Luís de Sttau Monteiro, poder-se-ia recuperar hoje como caracterização de uma geração de criadores “desavindos com a vidinha”, cerceados pelo meio sociopolítico e cultural em que intervinham.

Esta chamada para comunicações convida os investigadores a refletirem sobre a expressão artística e concetual da rede de escolhas estéticas, culturais e políticas vividas, em Portugal, ao longo dos anos de O’Neill.

Tópicos possíveis:
• Representações culturais de Portugal no século XX;
• Ideologia e arte;
• Artes no pensamento e na crítica;
• Unidades e dissidências nos diferentes “ismos”;
• Receção das vanguardas artísticas internacionais;
• Revistas culturais e imprensa generalista;
• Lugares da tradução na evolução das artes em Portugal;
• Indústrias culturais: emergência de novas linguagens.

Pede-se o envio de um resumo de 250 palavras acompanhado de uma pequena nota biográfica (100 palavras) para 2018vidinha@gmail.com até 27 de julho de 2018. Cada proposta deve apresentar, de forma clara, o título da comunicação, o nome, a filiação institucional e o contacto. A notificação de aceitação ou rejeição do resumo ocorrerá até 17 de setembro de 2018. Será publicada uma seleção das comunicações.

Os participantes devem preparar uma comunicação para 20 minutos, seguida de uma discussão.

Inscrições: 60 €

Universidade Católica Portuguesa
Biblioteca Nacional de Portugal
10 e 11 de dezembro de 2018

Comissão organizadora:
Joana Meirim
Alexandra Lopes
Sónia Pereira
Miguel-Pedro Quadrio

Conferencistas convidados:
Perfecto Cuadrado | Universitat de les Illes Balears
António M. Feijó | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
João Paulo Queiroz | Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa

Comissão Científica:
Nuno Amado | Universidade Católica Portuguesa
Ana Paula Coutinho | Universidade do Porto
Joana Meirim | Universidade Católica Portuguesa
Carlos Mendes de Sousa | Universidade do Minho
Miguel-Pedro Quadrio | Universidade Católica Portuguesa
Clara Rowland | Universidade Nova de Lisboa
Gustavo Rubim | Universidade Nova de Lisboa
Marta Teixeira Anacleto | Universidade de Coimbra
Jorge Vaz de Carvalho | Universidade Católica Portuguesa

Nota: Este colóquio é a última atividade de Lugares de O’Neill, projeto de investigação nos domínios da Língua e da Cultura Portuguesas, financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Palestra “Challenges for the Management of Arts Institutions and Philanthropic Strategies”

Susanne Weber-Mosdorf esteve presente para uma palestra aberta na Universidade, na qual procurou partilhar a sua experiência sobre os principais desafios na gestão de instituições artísticas. Neste sentido, foram discutidos temas como o desenvolvimento de políticas culturais, os impactos da globalização nas instituições e a importância do investimento financeiro no seu desempenho.

A palestra foi decisiva na afirmação da necessidade de criar maior sensibilidade para as artes e cultura como direito humano, assim como o investimento em diretivas políticas que abranjam instituições de todos os tamanhos e que não englobe somente aquelas de maior prestígio.

A crescente burocrática, os cortes subsidiários, as dificuldades na regularização de material audiovisual e a liberalização do comércio têm sido outros dos fatores que provocam uma desestabilização do mercado das artes. Simultaneamente, estes impactos têm sido sentidos pela restrição que provocam sobre os processos de criatividade e inovação. Investimento e conteúdo tornam-se assim, invariavelmente, dependentes e as consequências fazem-se sentir pelo desfasamento sentido entre instituições de diferentes tamanhos, bem como na sensibilidade social sobre as suas necessidades.

Todavia, estes desafios não se encontram apenas focalizados na perspetiva sociocultural, Susanne Weber-Mosdorf apontando igualmente para a necessidade de alterar algumas práticas organizacionais internas às instituições culturais. A necessidade de encontrar uma visão comum sobre as práticas organizacionais foi um dos fatores sublinhados, pelo desenvolvimento de um ambiente mais transparente, cuja missão e visão sejam claras, assim como um maior investimento nas qualidades profissionais dos stakeholders e em novos modelos de gestão.

A palestra terminou com um apelo à necessidade de maior visibilidade e sensibilização sobre o que é a cultura e o seu impacto na nossa sociedade. Todos os desafios apontados são, na perspetiva de Susanne Weber-Mosdorf, janelas de oportunidade para mudar e melhorar a situação atual. Propõe que estes desafios sejam encarados duma forma organizada e estratégica, como é o caso das redes sociais, as quais com o devido investimento poderão trazer vantagens e aumentar a atenção para as atividades culturais desenvolvidas.

IMG_7759IMG_7762

Sobre a palestra “The Rise of Trump: Inequalities, Class and Populism in America”

O Professor Mauro P. Porto esteve presente na Universidade Católica Portuguesa, na passada Segunda-Feira, para uma palestra aberta sobre a campanha eleitoral Americana de 2016. A eleição de Donald Trump, atual Presidente dos Estados Unidos da América, foi alvo de análise pelo Professor e pelo grupo de pesquisa da Universidade de Tulane.

Como forma de compreender o comportamento eleitoral, o Professor apresentou uma análise topológica da distribuição de votos, a partir da qual procurou explicar as respetivas motivações através de padrões regionais.

Esta metodologia permitiu concluir que os resultados eleitorais de 2016 se deveram muito ao sucesso de Trump na área do “Rust Belt” (“cinturão da ferrugem”), a qual é constituída pelos estados do nordeste e meio-oeste. Esta área distingue-se primeiramente pela sua homogeneidade racial, assim como por ser uma das zonas que mais sofreu com o impacto da crise económica sentida nos últimos anos.

Donald Trump obteve 58% dos seus votos de Norte-Americanos brancos, cujas regiões se localizam no que Mauro P. Porto intitulou de “Landscapes of Despair”. A sua vitória foi assim conquistada pelo seu êxito com a “white working class”, conceito ainda pouco articulado, mas que se provou chave na sua campanha. Apesar de não ter explorado as possíveis intersecções entre raça e classe, Mauro P. Porto apelou a que tal fosse alvo de debate no campo académico no futuro.

Será ainda de sublinhar a relevância do ambiente de incerteza e insegurança sentidos nestes estados, assim como o seu papel na decisão de voto. O Professor terminou a palestra apelando a que mais atenção seja dispensada aos padrões culturais que dividem os Estados Unidos e a que as problemáticas e desestabilizações sociais sejam endereçadas, como forma de combater as atuais condições políticas. O orador deixou a certeza que os escândalos e a má propaganda do atual Presidente não serão motivo para impedir a sua reeleição em 2020.

Lecture “The Rise of Trump: Inequalities, Class and Populism in America”

Dia 28 de maio a Universidade Católica Portuguesa será palco da conferência “The Rise of Trump: Inequalities, Class and Populism in America”, apresentada pelo docente e investigador convidado, Professor Mauro Pereira Porto.

A conferência organizada pelo CECC ocorre no âmbito do Ciclo de Conferências do Doutoramento em Ciências da Comunicação, e convida à reunião de investigadores de várias áreas a assistirem e participarem na palestra aberta.

 

O Professor Paulo Pereira Porto encontra-se de momento a lecionar nos Estados Unidos, na Universidade de Tulane, Nova Orleães. Tendo estudado na Universidade de Brasília, onde fez Licenciatura e Mestrado em Comunicação e Ciência Política respetivamente, realizou o Doutoramento na Universidade da Califórnia, São Diego, em 2001.

A sua carreira conduziu-o a áreas de pesquisa no âmbito da Comunicação Política, Media, Democracia e dos Estudos Latino-Americanos. Publicou dois livros que exploram estas dinâmicas, o primeiro “Televisão e política no Brasil: A Rede Globo e as interpretações da audiência” em 2007 e, em 2012, “Media power and democratization in Brazil: TV Globo and the dilemas of political accountability”.

 

 

“Language, Translation, and Migration”: Conference and Public Summit 2018

As docentes e investigadoras do CECC Rita Maia e Alexandra Lopes encontram-se, de momento, a participar na conferência “Language, Translation, and Migration” na Universidade de Warwick. A conferência decorre entre os dias 24 e 26, nas instalações da Universidade no Reino Unido e reúne investigadores de diferentes contextos culturais.

A investigadora Alexandra Lopes irá falar sobre o tema “The definitive foreigner: Translatorship as migration” e a investigadora Rita Maia irá, por sua vez, apresentar o tema “Integrating indirect translation into translation curricula: Towards a more equal and sustainable translation market. A research Project”.

A conferência pretende explorar a diversidade linguística e disciplinar, debatendo temas como as dinâmicas entre os fatores políticos e comportamentais, bem como a influência que estes poderão prestar sobre a multiplicidade linguística e a diversidade cultural. Perante o incremento da interconectividade, numa época que se assume cada vez mais global, levantam-se questões fulcrais em relação à complexidade dos processos migratórios e à adaptabilidade dos sistemas educativos e judiciais.

A linguagem e a tradução, surgem assim, como elemento agregador ou, por outro lado, perturbador da coesão e mobilidade sociais. Um diálogo partilhado entre profissionais e investigadores das áreas de tradução, línguas e sociologia, entre outras, tornam-se assim fundamentais à compreensão das melhores práticas, bem como ao desenvolvimento de modelos e aprendizagens que diluam e agilizem as barreiras socioculturais no processo de migração.

 

Para mais informações: 

Página da Conferência

Programa da Conferência

Conferência “Holocausto, Genocídio e Crimes contra a Humanidade”

A conferência “Holocausto, Genocídio e Crimes contra a Humanidade” decorreu nos passados dias 16 e 17 de maio, nas instalações da FCH, e reuniu vários investigadores para debaterem questões de alteridade, violência e antissemitismo vividos durante o contexto socio-político da Segunda Guerra Mundial.

A investigadora do CECC Maria Amélia Cruz marcou presença com o tema “Echoes of the Holocaust in Mirjam Pressler’s juveline literary production”.

Conhecida primordialmente pela sua tradução e publicação d’O Diário de Anne Frank (originalmente intitulado de Het Achterhuis) de Holandês para Alemão, Mirjam Pressler publicou várias obras dentro do género da Literatura Infanto-Juvenil no contexto do Holocausto.Maria Amélia referiu a autora como ponto de partida para compreender como a sociologia e psicologia juvenil se constroem e refletem na literatura. Os ecos do Holocausto são assim sentidos na escrita de Pressler, defendeu a investigadora do CECC, estando a identidade juvenil em constante dialética com a multiplicidade de experiências e processos de socialização a que estes jovens estão expostos.

Maria Amélia Cruz terminou a sua intervenção nesta conferência com um apelo a que repensemos a forma como os jovens lidam hoje com a alteridade, para reduzir os índices de marginalização ainda sentidos em países com passados de guerra e coloniais.

Veja a seguir algumas fotografias da conferência.

Livro dos Anais do XV Congresso Ibercom agora online

O e-book dos Anais do XV Congresso Ibercom 2017 está já disponivel online. O encontro anual realizou-se este ano na Universidade Católica Portuguesa, entre 16 e 18 de Novembro, e na organizaçao estiveram os docentes e investigadores Nelson Ribeiro e Catarina Duff Burnay.

O livro, com mais de 6 mil páginas, está disponível para download gratuito aqui 

Translation, Power and Politics: Call for papers

3rd Symposium on Literary Translation and Contemporary Iberia:

Translation, Power and Politics

Research Centre for Communication and Culture, Universidade Católica Portuguesa

Lisbon, 22-23 November 2018

 

The 3rd Symposium on Literary Translation and Contemporary Iberia aims at bringing together scholars and researchers in the field of Translation Studies (and related areas) working with the Iberian languages. Following the two previous events organized at University College Cork (2016) and Dublin City University (2017), the third edition of the Symposium will reflect upon the relationship between different dynamics of power and movements/gestures of translation in the Iberian Peninsula throughout the 20th and 21st centuries. As a starting point for the debate, we propose the topic “Translation, politics and power”.

Firstly, and following on Spivak’s seminal text “Politics of Translation” (1998), we will question the role of the translator as perpetuator/ informer/opponent of relations of domination and, amongst these, of both the colonialist and the democratizing potential of linguae francae. If we accept, with Spivak, that translation is an intimate act with the source text, can the (good) translator do something other than surrender to the rhetoric of the original? And what source and target languages are there (effectively) in the Iberian publishing market? To what extent do translation policies build and sustain notions of majority (s) and minority (s)?

On the other hand, we will claim that the history of the 20th and 21st centuries in Portugal and Spain can also be read through the (history of) publishing in both countries, namely of translated literature. In fact, creating catalogues of translated literature on both sides of the border might reveal multiple and undisclosed forms of interaction between translation and contemporary powers (political, economic, ideological or others). As such, possible questions to debate would be: How is the current political situation in the two Iberian countries reflected in translation? What is the role of translation in the major public debates that have taken place in Portugal and Spain around topics such as memory, the financial crisis, Catalonia, Europe or war? Lastly, and considering that no translation agent is ever neutral, we also invite submissions of historically grounded studies that look at translators from/in the Iberian Peninsula as active agents taking part in the dialogue between political structures and translation.

 

Papers on the following topics are welcome:

Apolitical rewritings by political authors (and vice versa)

Languages, politics and power(s)

Different directions in translation

Translators and politics

Peripheries and centrality in literary translation

Power and empowerment

Power, control and resistance

(Official) politics of translation

Translation and war

Translation and ideology

Translation and power in the digital age

Translation, gender and power

Translating in dictatorship, translating in democracy

Translating political ideas

Translation and the Church.

 

Keynote speakers (to be confirmed)

Isabel Soler, Universidade de Barcelona

TBA
Speakers should prepare for a 20-minute presentation followed by questions. Please send a brief biographical note (100 words) and a 250-word abstract to Inês Espada Vieira  iev@fch.lisboa.ucp.pt and Rita Bueno Maia rbuenomaia@fch.lisboa.ucp.pt

Proposals should list paper title, name, institutional affiliation and contact details.

 

Deadline for submission of proposals: 27 June 2018

Notification of abstract acceptance or rejection: 27 July 2018

The conference languages are Portuguese, Spanish and English.

Fees:

Participants – 35€

The registration fee includes coffee breaks and lunches on the two days of the Symposium, as well as conference documentation.

 

Payment

By bank transfer:

NIB: 003300000017013412105

IBAN: PT50 0033 0000 0017 0134 1210 5

SWIFT: BCOMPTPL

 

By cheque made out to:

Universidade Católica Portuguesa

and sent to:

Centro de Estudos de Comunicação e Cultura

a/c Elisabete Carvalho

Universidade Católica Portuguesa

Faculdade de Ciências Humanas

Palma de Cima

1649-023 Lisboa Portugal