Vilém Flusser, tema de publicações de investigadores do CECC

flusser

Vilém Flusser (1920-1991) é um dos pensadores mais singulares da Filosofia da Comunicação. Autor nascido em Praga e naturalizado brasileiro, país onde viveu parte da vida, depois de grande parte da sua família judia ter sido morta nos campos de concentração nazis, só regressou à Europa nos anos 70 do século XX. Entre as suas obras mais famosas, destaca-se Língua e Realidade (São Paulo, 1963), Le Monde Codifié (Paris, 1972)  ou A Filosofia da Caixa Preta: Ensaios para uma futura filosofia da fotografia (São Paulo, 1983).

Na sequência da participação no projecto de investigação internacional “Crítica da Singularidade: Eventos Catastróficos e a Retórica da Representação”, que juntou o CECC, a Universidade Livre de Berlim e a Universidade de Quioto, Fernando Ilharco foi convidado para participar na edição de Flusseriana – An Intellectual Toolbox, um volume que reúne pensadores de várias nacionalidades em torno da obra deste autor marcante, e que se organiza como um dicionário, por entradas temáticas. Pode ler-se no site da Univocal Publishing, de Minneapolis:

Freestyle thinking – that is Vilém Flusser’s intellectual modus operandi: challenging and offensive, paradoxical and audacious. His thought knows no disciplines or subjects, nor does it pay tribute to other academic frameworks or rituals. Above all else his thought wants to intervene in ongoing cultural and artistic processes and influence them. In order to achieve this, no closed theoretical systems are necessary, only open, operative structures. The Flusseriana is a toolbox capable of being developed and expanded. It contains more than 200 “thinkthings” (Denkdinge) of all kinds: particularities like “Indian Summer,” “Atlas,” “Submissiveness,” “Animal,” or “Mediterranean Sea”; condensed Flusserian thought concerning the big eternal questions such as “History,” “Language,” “Myth,” and “Religion”; the central concepts of his media analysis, including “Apparatus,” “Abstraction,” “Cybernetics,” and “Telematics”; as well as Flusser’s own neologisms – “Communicology,” “Universe of Dots,” the old and the new “Imaginations.” More than 100 authors produced the entries under these lemmata. That is dialogic practice – entirely in the spirit of the philosophical writer from Prague.

As palavras do próprio Vilém Flusser estão destacadas na contracapa:

DSC_0258

DSC_0252

Uma edição graficamente cuidada e trilingue (inglês, alemão e português) que honra o percurso internacional do autor homenageado e onde o Professor da Faculdade de Ciências Humanas e investigador do CECC assina o texto da entrada “The three catastrophes”.

DSC_0248

DSC_0247

Vilém Flusser é também um autor influente no percurso do investigador junior do CECC, o doutorando Élmano Souza. No mestrado, no Programa de Pós-graduação em Estudos da Mídia, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, participou numa cadeira dedicada ao autor, onde tomou contacto sobretudo com os textos não publicados, que integram o Arquivo Flusser em Berlim (Alemanha). Colaborou na organização do livro virtual Do conceito a imagem: a cultura da mídia pós-Vilém Flusser, onde tem dois artigos,  disponível neste repositório, um projecto  que resultou do I Simpósio Internacional de Estudos sobre Cultura Midiática.

Conceito

 

 

 

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s